Blogagem Colectiva: Amor aos Pedaços



1º Pedaço de Amor
O Amor é um sentimento que nos faz ver o mundo de um modo diferente: de repente, a paleta de cores que compõe o mundo muda radicalmente; o mau-humor alheio deixa de nos atingir; a vida vê-se destituída de problemas e os obstáculos da mesma transformam-se em pequenos canteiros de flores.
Outrora, as pessoas demoravam muito tempo para achar o amor; outras nunca davam de caras com ele (já que muitas vezes eram obrigadas a casarem com indivíduos devido a interesses) e outras, com toda a paciência do mundo, escolhiam minuciosamente a quem deveriam entregar o seu coração – valia tudo isto a pena?
Hoje, as pessoas são mais rápidas na escolha do amor (ou será outra coisa?); têm pouca paciência para esperar pela pessoa que lhe foi destinada (sim, ouviram bem; correm atrás de um amor fictício já que o destinado tarda). Hoje as pessoas dizem com muita facilidade “Amo-te” (ok, em Portugal até se ouve mais o “gosto muito de ti” coisa que nunca entendi bem. Até parece que na Lusitânia é difícil Amar e, assim, prefere-se Gostar) – valerá tudo isto a pena?
Julgem-no por vós próprios...

2º Pedaço de Amor
Sexo sem amor; sexo a torto e a direito; sexo sem olhar a quem; sexo por sexo; sexo como instrumento de poder.  
Os mais religiosos defendem a virgindade (e.g. no Cristianismo: para as mulheres, principalmente; no Judaismo: para os dois géneros). Eu, pessoalmente, não a defendo – na minha opinião, nenhuma mulher deveria casar virgem; principalmente em culturas em que se incentiva o homem a ter uma experiência sexual vasta (conferindo-lhe assim demasiado poder sobre as virgens do pedaço e futura mulher inexperiente).
Mas também não advogo a promiscuidade. Esta é nefasta não só para o corpo como para o espírito (para quem acredita na reencarnação, isto significa que se estará a criar laços energéticos desnecessários que poderão obrigar a um incessante ciclo de renascimento para resolver questões kármicas; principalmente se elas causarem um desvio no Propósito).
Sexo por sexo, sexo para a mera obtenção de um orgasmo é, na minha opinião, um desperdício de energia vital. Um orgasmo dura mais ou menos 40 segundos. Minha gente, as pessoas matam-se, traem-se umas às outras, partem corações aos pedaços e, chegam até ao cúmulo de vender segredos por causa de 40 segundinhos.
Dá que pensar...

3º Pedaço de Amor
É preciso amarmo-nos a nós próprios. E quando digo isto não falo de auto-gratificação. Não, falo de amor próprio. Yeshua (Jesus), em Mateus 22:35, afirmou quais os dois maiores mandamentos da Lei (i.e. Torah, já que ele era Judeu), sendo o segundo deles: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. Se não nos amarmos não poderemos amar o próximo.
Ao amarmo-nos viramo-nos para dentro de nós, para a nossa Essência; e ao fazê-lo não só nos conheceremos (nos entenderemos, nos toleraremos, nos respeitaremos) melhor como também passaremos a conhecer, a tolerar, a compreender, e logo a amar melhor o próximo. Resultado: o mundo será um lugar muito melhor. E esta é a mensagem do Torah e, por conseguinte, de Yeshua (Jesus). 
Reflictamos!

Esta postagem faz parte da 4ª Fase da blogagem colectiva intitulada “Amor aos Pedaços”. Para ver a lista dos outros participantes, por obséquio, clicar Aqui

Comentários

  1. Olá Max

    Muito bons os seus "pedaços".

    Concordo com tudo que você diz, principalmente no tocante ao amor próprio: Quem se ama é tolerante consigo e por consequência é tolerante com quem o cerca. Amor é a mola mestra, impulsiona e dá movimento a tudo!

    Também estou 'questionando" na blogagem.

    Abraços, foi um prazer lê-lo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Van :D!

      Obrigada pelo teu comentário.

      Foi um prazer visitar o teu blogue :D.

      Um abraço

      Eliminar
  2. Oi Max!

    Eu também estou nessa Blogagem... E seguindo pela listagem lá no blog da Ruth.

    Conviver, mesmo com alguém que se ama, é criar uma ponte entre a individualidade de cada um. Para então não haver cobranças futuras.

    Abraço,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Valéria :D!

      Obrigada pelo teu comentário e amei a tua participação :D.

      Um abraço

      Eliminar
  3. Oi Max,
    Também estou participando da blogagem e passeando por cada blog para ver as participações.
    Concordo muito com o que você falou,o amor tem esse poder de fazer com que as coisas ao nosso redor sejam vistas de outra forma,o sexo por si só para mim não significa nada e para amar alguém devemos começar por nós próprios,inclusive o meu texto fala sobre isso,se tiver a oportunidade de lê-lo,será um prazer,rs.
    ótima participação,abraço,=)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Suu :D!

      Primeiro: adorei a tua participação!

      Muito obrigada por teres lido a minha e comentado :D.

      Um abraço

      Eliminar
  4. Olá Max,
    Que coisa boa participar da blogagem coletiva e ler tantos questionamentos por ai. Pedaços de amor. Acho que está sendo assim... Amor fragmentado... Os valores são outros e os sabores também.
    Bons fluidos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Teresinha :D!

      Tens toda a razão. Alguns valores e sabores diferem e essa é a beleza do mundo :).

      Obrigada pelo teu comentário :D.

      Um abraço

      Eliminar
  5. Oi Max,
    bem vinda à BC Amor aos Pedaços. Gostei de ler seus "pedaços".
    Também considero o amor-próprio algo primordial desde que não se torne egocentrico.
    Quem não ama a si mesmo, não sabe amar os outros. Grande verdade.
    Abraço além-mar.
    Rute

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Rute :D!

      Obrigada, é um prazer fazer parte desta BC.
      Fico feliz por teres gostado!

      Passarei no teu blogue esta semana :D.

      Obrigada pelo teu comentário.

      Um abraço

      Eliminar
  6. Max, não é surpresa para mim, chegar no seu blogue e encontrar reflexões que caminham do novo ao antigo, fazendo perceber como é a evolução do pensamento e modo de agir do ser humano, de como o passado dos nossos ancestrais ainda estão marcados em nossa alma.
    Acredito fielmente que o amor próprio seja a chave de tudo, até mesmo para a salvação do mundo. Quem ama a si, não destrói nada que lhe rodeia, mas o amor a que nos referimos é a consciêncida de que a nossa alma é veículo do amor de Deus! Se amamos à nós, amamos Deus, pois nós, como tudo que existe na terra é Deus, seja ele veiculado da forma que cada tribo designa.
    Obrigada por participar!! Fiquei muito feliz quando decidiu atender ao meu pedido. No dia 17 (18hs. do Brasil) estaremos veiculando o tema da 5ª e última fase da blogagem "Amor aos pedaços" e ficaria feliz com a sua participação.
    Muita coisa teria para comentar do seu texto, incluindo a proteção que os portugueses usam para dizer que amam. Lembrei de uma história antiga, acontecida em minha família, da moça muito nova que disse ao meu primo, já um senhor passado dos 50. Ela lhe disse: Eu amo o senhor (rs*) assim que despediu-se. No dia seguinte, correu pela família, pois o noivado era quase certo. E ele lastimava: Não posso me casar com uma mulher que diz: "Eu amo o senhor".
    Boa blogagem! Beijus,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luma :D!

      Absolutamente: o passado dos nossos ancestrais estão vincados na alma (mas isso já seria outro tópico, um mais esotérico).

      Concordo totalmente contigo "Quem ama a si, não destrói nada que lhe rodeia, mas o amor a que nos referimos é a consciêncida de que a nossa alma é veículo do amor de Deus! Se amamos à nós, amamos Deus, pois nós, como tudo que existe na terra é Deus, seja ele veiculado da forma que cada tribo designa."

      Não tens de agradecer. Quando posso participar, participo com prazer :). Já sei, e estarei lá no dia 15/07.

      Ah, para ti o "Gostar" dos Lusitanos é um mecanismo de defesa? Não tinha pensado nisso...irei reflectir mais acerca da questão :). Obrigada.

      Luma, muito obrigada pelo teu comentário e ideia :D.

      Beijoooss

      Eliminar
  7. Olá, participo da BC Questionamentos e fiquei encantada com seu blog, pelo seu texto em
    particular em sua definição dos pedaços de amor...

    "(nos entenderemos, nos toleraremos, nos respeitaremos) melhor como também passaremos a conhecer, a tolerar, a compreender, e logo a amar melhor o próximo. Resultado: o mundo será um lugar muito melhor"

    Isso já nos basta...
    Paz e bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Bel :D!

      Passarei pelo teu blogue esta semana, prometo.
      Mas obrigada por teres passado por aqui, pelo teu comentário, por estares a seguir o Etnias e pela tua paz :D.

      Um abraço

      Eliminar
  8. aDOREI SEU TEXTO,o amor é o que de melhor temos,e quando nos amamos compreendemos o amor dos outros.beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Xunandinha :D!

      Fico feliz por teres adorado :). É isso mesmo!

      Obrigada pelo teu comentário e passarei pelo teu blogue em breve :D.

      Um abraço

      Eliminar
  9. Quando vim anteriormente não consegui comentar.Parabéns pelo texto!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Zilda :D!

      Fico feliz por ter conseguido agora :). Obrigada pelo seu comentário!

      Um abraço

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço